20 de julho de 2017 Atualizado em: 18/10/2017 Por Vanessa Maia
abrir um e-commerce dicas

Quer abrir um e-commerce? Veja o que é preciso considerar

O número de pessoas interessadas em abrir um e-commerce cresce a cada ano. Com o avanço da tecnologia, abrir uma loja virtual tornou-se uma boa opção de negócio para os brasileiros. De acordo com pesquisa da Big Data Corp, o número de lojas virtuais no Brasil aumentou 22% em 2016.

O mercado de e-commerce cresce com a expansão de lojas físicas para o online e também com novos empreendedores. O entusiasmo com este modelo de negócio é confirmado por dados do Google. Segundo pesquisa do buscador, o número de vendas do comércio online deve dobrar até 2021.

O fato das tendências serem positivas não diminui a necessidade de ser montado um planejamento estratégico para seu negócio. Pelo contrário, quanto maior a análise e estudo do universo digital, maior a chance de aproveitar todas as oportunidades.

Neste artigo, vamos mostrar o que considerar antes de abrir um e-commerce e montar uma loja virtual de sucesso.

Experiência do usuário

Experiência do usuário é o termo usado para definir a qualidade da interação do visitante com o site. Também conhecida como User Experience (UX), seu papel é fundamental para atingir os resultados de uma loja virtual.

A importância do design de interface é estratégica para seu negócio. Um desenvolvimento de qualidade pode incentivar a conversão em vendas ao abordar as seguintes questões:

1. Credibilidade

Como já mostramos anteriormente, o mercado eletrônico está em ascensão. Mas isso não significa que as lojas virtuais não tenham mais que conquistar a confiança dos potenciais clientes.

Golpes e fraudes ainda podem manchar um pouco a imagem do mercado. No entanto, a principal resistência ao e-commerce ainda é a desinformação dos usuários sobre a segurança da loja que está acessando.

Desenvolver um layout personalizado e de qualidade é uma das estratégias para mostrar ao usuário o profissionalismo do seu negócio.

A apresentação dos seus produtos também é fundamental para dar segurança ao cliente. A disposição das imagens e o detalhamento dos produtos tangibiliza a mercadoria para o usuário.

2. Facilidade

O consumidor online gosta de praticidade e velocidade em suas ações. O papel da UX é garantir que seu site seja intuitivo para o usuário encontrar o que procura com facilidade.

O design do e-commerce deve prever caminhos simples para que o consumidor siga a navegação rumo à conversão. Cadastro, carrinho de compras, área de vendas: tudo deve ser planejado.

Também é importante prever uma área de perguntas frequentes respondendo às principais dúvidas dos clientes.

3. Acesso mobile

O acesso digital tem crescido graças a popularização dos smartphones e planos de telefonia móvel. Segundo pesquisas, 58% dos usuários brasileiros acessam a internet pelo celular.

Para contemplar esses acessos, a usabilidade do e-commerce deve ser trabalhada de forma responsiva. O tamanho da tela e a velocidade da internet móvel modifica a experiência de compra do usuário, sendo fundamental prever um caminho especial para conversões por dispositivos móveis.

4. Aumento do ticket médio

A apresentação dos produtos e de outros itens similares, ou complementares, pode ser determinante para aumentar as aquisições do usuário. O design do site deve prever estes e outros estímulos para conversão ao longo do processo de compra.

Importante: Normalmente, o desenvolvimento de lojas virtuais é feito a partir de uma plataforma de e-commerce (Loja Integrada, Vtex, Magento, WordPress). É importante considerar que alguns desses sistemas possuem uma estrutura menos personalizável que outros. Com isso, toda a construção de layout deve sempre ser feita de acordo com as especificações de cada plataforma.

Marketing digital para e-commerce

O marketing é fundamental para o crescimento de qualquer negócio. Interessados em abrir um e-commerce devem estudar esta área para poderem experimentar diversas ações em sua estratégia.

O marketing digital pode colaborar com o e-commerce em 3 principais pontos:

1. Atrair usuários para sua loja

A web possui diversas opções para se trabalhar publicidade online: Google Adwords (anúncios na rede de pesquisa e em sites parceiros do Google), Facebook Ads (anúncios segmentados no Facebook), redes de afiliados, entre outros.

Para o mercado de e-commerce há ainda uma série de recursos específicos como Google Merchant Center e sites comparadores de preço como Buscapé e Zoom.

2. Convencimento de compra

Depois de atrair o usuário à loja, a próxima etapa é sanar todas suas dúvidas.

O cliente precisa encontrar não apenas o produto, mas um conteúdo de qualidade que ajude na venda: Diversidade de fotos, descrição das características, informações de pagamento, entrega e política de devolução.

Algumas estratégias de marketing também podem funcionar dentro do site para estimular a conversão como: ativação ao abandono do carrinho de compra, cupons de desconto, frete grátis e criação do senso de urgência.

Exemplo: criação de senso de urgência

O site booking.com trabalha com gatilhos de urgência, como: “Muita procura!”, “Reservado x vezes nas últimas 24 horas”, “x quartos disponíveis”, entre outros.

3. Fidelidade do usuário

Tão importante quanto alcançar novos usuários é fidelizar os clientes atuais. As formas mais populares de trabalhar este público são com campanhas de remarketing (via ferramentas como Google ou Criteo) e e-mail marketing.

Segurança do e-commerce

Para que os consumidores e lojistas possam aproveitar o ambiente online de forma segura, é necessário tomar alguns cuidados antes de abrir um e-commerce. Criar um site seguro deve estar em seu plano de negócio.

Para o lojista:

Um sistema antifraude pode ajudar o lojista a identificar compras com cartões clonados ou roubados, além dos consumidores que agem de má fé — realizando uma compra e depois pedindo o reembolso alegando que não comprou, por exemplo.

Para os usuários:

Ao solicitar os dados dos clientes para uma área de cadastro ou compra, é obrigatório que a loja virtual tenha um certificado digital SSL. Atualmente o Google recomenda que todas as páginas de um site possuam esse padrão de segurança.

Para ativar o SSL em um site é preciso de algumas configurações no servidor que garantem a segurança dos dados trafegados. Um site certificado pode ser facilmente identificado pelo início da url com um S após o tradicional http:// e o ícone presente no navegador.

Exemplo de visualização do site com certificação digital SSL no navegador Chrome:

Site seguro https

Formas de pagamento

A escolha da tecnologia utilizada para as transações financeiras depende do tamanho da loja virtual e das expectativas de venda do lojista. Existem basicamente dois sistemas de pagamento para e-commerce: os gateways e os intermediários.

É importante oferecer as opções básicas, como cartão de crédito e boleto. Para que o consumidor se sinta mais seguro, é interessante que o lojista também ofereça outras opções intermediárias, como o Paypal e o PagSeguro.

Próximos passos para abrir um e-commerce

Abrir um e-commerce e ter uma boa conversão exige planejamento e conhecimento do mercado. Estude as plataformas de lojas virtuais e as possibilidades que o universo digital oferece ao seu negócio.

Um dos pontos positivos de trabalhar com marketing digital e e-commerce é que há muita informação de qualidade na internet. Pesquise, planeje e faça testes entre as táticas que idealizou.

A duo.me pode ajudar em diversas etapas desse processo, do design e programação do e-commerce, até em campanhas de marketing digital. Entre em contato conosco e tire todas as suas dúvidas!